26.4.09

 

 

 

 

Desde muito cedo que os bebés tendem a testar os seus limites. Ao longo dessa exploração, esbarram por vezes com a atitude firme dos educadores, mas pode acontecer que o modelo educativo seja demasiado permissivo e as crianças facilmente se apercebem que podem agir livremente.
 
A partir daqui, as regras estão clarificadas. Os mais pequenos ficam a saber que, se fizerem uma birra suficientemente forte os pais vão ceder. Todos nós já assistimos a cenas em que as crianças se deitam para o chão e gritam a plenos pulmões.
 
Os pais, manifestam-se tão assustados e envergonhados com tal atitude que acabam por dar o que a criança deseja. Podem até chegar a ameaçar com um castigo, mas raramente o cumprem, uma vez que a sua incapacidade de manter os limites é tão grande que não conseguem manter-se firmes.
 
Uma atitude permissiva não leva jamais a resultados positivos. Há uns anos a esta parte, assistiu-se a uma grande confusão no que respeita à interpretação dada a alguns conceitos de psicologia infantil. Muitas pessoas passaram a recear assumir atitudes educativas mais firmes com receio de traumatizar as crianças, o que é completamente errado.
 
Ao longo do crescimento, todos nós temos necessidade de nos traçarem linhas de conduta que possamos seguir e só os pais ou educadores estão aptos a fazê-lo. Uma criança que cresce sem regras, dificilmente poderá sentir-se bem enquadrada na sociedade e, ser um adulto equilibrado e feliz.
 
Outro motivo prende-se com o receio de virem a ser menos amados pelos filhos, ou que estes os encarem como tiranos, o que encerra outra grande confusão de ideias. A firmeza não é sinónimo de autoritarismo. As regras podem, e devem, ser explicadas às crianças desde muito cedo, para que lhes seja mais fácil cumpri-las.
 
Perante uma birra, é sempre de evitar frases do tipo “vou-te deixar-te aqui “ ou “ a mãe já não te quer porque tu és feio”, uma vez que as mentiras devem ser sempre evitadas e, para além do mais uma humilhação é um ataque à auto-estima da criança o que conduz a mais problemas do que resultados positivos.
 
Evite, por isso mesmo, repreender agir no momento em que a birra está a decorrer. Afaste-se um pouco da cena e comporte-se com naturalidade. O mais certo é que as pessoas comecem a tecer comentários, mas não se preocupe com isso.
 
Alguns dirão que a melhor atitude é dar-lhe uma palmada, uma vez que desconhecem que esse tipo de estratégia não conduz a resultados duradouros. Passado o momento de crise será ele próprio que se reaproxima de si e, então pergunte-lhe calmamente se tudo está ultrapassado.
 
Mais tarde, em casa, se ele já tiver mais de 3 anos, poderá sentar-se e manter uma conversa sobre o assunto, explicando-lhe que esse tipo de atitudes não o levam a lado nenhum, uma vez que os pais não cedem a chantagens .
 
É bom que o seu filho saiba desde muito cedo que, do mesmo modo que os pais lhe satisfazem as suas necessidades, também são por vezes obrigados a negar-lhe alguns caprichos, para bem da sua formação.
link do postPor psicologiacriancaeadolescente, às 01:39  comentar

 



Espaço onde pode colocar as suas dúvidas acerca dos seus filhos, sejam eles crianças ou adolescentes.
Envie a sua questão
Este consultório online é um espaço onde pode colocar as suas dúvidas no âmbito da Psicologia da Criança e do Adolescente. Este consultório tem um carácter informativo e o acompanhamento médico especializado por parte dos leitores não deve ser descuidado.

E-mail: tp_marques@sapo.pt
Drª Teresa Paula Marques
Licenciada em Psicologia Clínica (ISPA), Mestre em Psicopatologia e Psicologia Clínica (ISPA), Pós-graduada em Avaliação Psicológica em Contexto Escolar (FPCEUL), Psicoterapeuta Breve (SPPB), Doutoranda em Psicologia da Educação (FPCEUL).
Exerce Psicologia Clínica há quase duas décadas.

Actualmente é responsável pelo Serviço de Psicologia de um Externato em Lisboa e docente da cadeira de Psicologia do Desenvolvimento na Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa, no curso de Enfermagem.
Paralelamente atende crianças e adolescentes no consultório privado e é autora de 4 livros sobre Psicologia Infantil e do Adolescente. Já foi psicóloga residente em programas de televisão e mantém colaborações regulares com diversos jornais e revistas.
Actualmente responsável pelo consultório "FILHOS" na revista TvMais (periodicidade quinzenal)

Para saber locais de consultório aceda ao site: www.teresapaulamarques.com blog : http://teresapaulamarques.zip.net
blogs SAPO