11.4.09

 

O vício de jogos online, como é o caso do World of Warcraft,  têm sido objecto de preocupação por parte de psicólogos e psiquiatras. Este jogo em particular, conta com mais de 11 milhões de jogadores inscritos por esse mundo fora ou seja, muito mais do que a população de Portugal Continental !
 
Desenrola-se em diversos cenários virtuais, faz parte dos chamados MMORPGS e permite que milhares de usuários se confrontem e formem equipas. Aparentemente parece existir pouca diferença entre o vício de drogas e jogos online, e as pessoas com estes problemas dificilmente procuram ajuda.
 
No documentário seguinte, podemos ver os depoimentos de um jovem viciado no jogo, da sua mãe e de uma psicóloga. O filme é legendado em português do Brasil. Vale muito a pena ver ...
 
  

 

 

 

Atinge mais os jovens adolescentes, mas há também adultos  que passam horas a fio em frente a um computador, completamente desligados da realidade, esquecendo-se muitas vezes das suas necessidades básicas, como comer e dormir.  

Podemos questionar-nos como é possível que alguém se torne viciado num jogo online. O processo é fácil de explicar. No início o jogo recompensa de imediato o sucesso obtido (reforço contínuo) para depois recompensar a persistência do jogador (reforço intermitente).
 
Ou seja, no início do jogo o usuário faz pouco, e a cada pouco que faz é muito recompensado. À medida que isso se torna frequente, para a recompensa não ser banalizada, só surge de tempos a tempos, mediante muita dedicação.

Esse é o segredo dos jogos que viciam : recompensar os novatos e mudar as estratégias quando estes adquirem perícia, de modo a incentivá-los a jogar, agora como veteranos, através de raras recompensas e mediante grande esforço reconhecido.
 
Para além disso, existe todo um reforço social, uma vez que existe um grande número de pessoas (ainda que virtualmente presentes) que ali se juntam em torno de um interesse comum.  
link do postPor psicologiacriancaeadolescente, às 02:52  comentar

De Jogos de tirar a carta de condução a 11 de Junho de 2010 às 19:30
Há casos bastante graves sobre crianças/adolescentes viciados em jogos. Baixa rendimento escolar, afastamento social, etc..

De jogos a 23 de Fevereiro de 2011 às 14:25
Tenho um filho de 9 anos e caso eu nao proiba, passa o dia a jogar. Quanto tempo podem as crianças jogar sem que tal prejudique a sua saude?

Obrigado

 



Espaço onde pode colocar as suas dúvidas acerca dos seus filhos, sejam eles crianças ou adolescentes.
Envie a sua questão
Este consultório online é um espaço onde pode colocar as suas dúvidas no âmbito da Psicologia da Criança e do Adolescente. Este consultório tem um carácter informativo e o acompanhamento médico especializado por parte dos leitores não deve ser descuidado.

E-mail: tp_marques@sapo.pt
Drª Teresa Paula Marques
Licenciada em Psicologia Clínica (ISPA), Mestre em Psicopatologia e Psicologia Clínica (ISPA), Pós-graduada em Avaliação Psicológica em Contexto Escolar (FPCEUL), Psicoterapeuta Breve (SPPB), Doutoranda em Psicologia da Educação (FPCEUL).
Exerce Psicologia Clínica há quase duas décadas.

Actualmente é responsável pelo Serviço de Psicologia de um Externato em Lisboa e docente da cadeira de Psicologia do Desenvolvimento na Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa, no curso de Enfermagem.
Paralelamente atende crianças e adolescentes no consultório privado e é autora de 4 livros sobre Psicologia Infantil e do Adolescente. Já foi psicóloga residente em programas de televisão e mantém colaborações regulares com diversos jornais e revistas.
Actualmente responsável pelo consultório "FILHOS" na revista TvMais (periodicidade quinzenal)

Para saber locais de consultório aceda ao site: www.teresapaulamarques.com blog : http://teresapaulamarques.zip.net
blogs SAPO